O mundo secreto e perigoso da mineração de bitcoin na Venezuela

Por Jim Epstein

Quatro anos atrás, as perspectivas de carreira de Alberto eram sombrias. O venezuelano de 23 anos acabara de se formar na faculdade com um diploma em ciência da computação, mas a economia de sua nação já estava destruída por 13 anos de socialismo.

“Havia oportunidades de emprego, mas eles pagavam em torno de U$S 20 por mês, e nós éramos acostumados a viajar e a comprar coisas no exterior, então não poderíamos nos conformar com isso,” lembra seu amigo Luís. Alberto e Luís – cujos nomes foram alterados para sua própria segurança – uniram-se para iniciar um negócio no ramo de vestuário, mas o empreendimento não deu certo.

Então Alberto descobriu a mineração de bitcoin.

Continuar lendo

Anúncios

A maior depressão americana

Por Jim Quinn

Os paralelos entre a Grande Depressão de 1930 e a Grande Depressão atual são inquietantes, apesar da propaganda promovida pelo establishment político, pela mídia e pelo conluio bancário de que tudo está bem. Os jornalistas dos principais meios de comunicação desprezam e ridicularizam qualquer um que argumente que estamos atualmente em meio a outra grande depressão. Eles são pagos para vender uma narrativa de recuperação que mantém as massas ignorantes, sedadas e distraídas pelas últimas aventuras de Caitlyn Jenner e dos Kardashians. Uma avaliação imparcial dos fatos revela que a atual depressão é em cada detalhe tão terrível para o americano médio como a da década de 1930.

A administração Obama tem usado políticas fiscais fracassadas idênticas às utilizadas por Franklin Delano Roosevelt (FDR). US$ 800 bilhões em pacotes de estímulo, cash for clunkers¹, feriados fiscais sobre a folha de pagamento, concessão empréstimos estudantis com poucas exigências, e centenas de outras idéias keynesianas inúteis impulsionaram a dívida nacional de US$ 10 trilhões, em setembro de 2008, para US$ 19.4 trilhões, oito anos mais tarde, um aumento de 94%. A dívida nacional em outubro de 1929 era de US $ 17 bilhões. Oito anos mais tarde, depois de bilhões de dólares esbanjados em programas do New Deal, a dívida nacional ficou em US $ 36,5 bilhões, um aumento de 115%.

Continuar lendo

Inflação: Um esquema de redistribuição de riqueza

Por Russell Lamberti

precos-corrigidos

Muitos bancos centrais ao redor do mundo pretendem alcançar uma “meta de inflação”, tanto como um objetivo único explícito –  o caso do banco central sul-africano – quanto como parte de um conjunto de objetivos políticos, como os almejados pelo banco central americano, o Federal Reserve. Mas, longe de manter a estabilidade econômica e promover a prosperidade, uma meta de inflação de preços ao consumidor praticamente garante uma perniciosa transferência de riqueza ano após ano, um perpétuo engodo em funcionários e empresas desapercebidos, e um ponto cego permanente para ocultar a inflação.

Continuar lendo

O que é dinheiro e como ele funciona? – Uma explicação simples

Por Addison Quale

Alcançar uma compreensão clara do sistema monetário e de por que o ouro é tão importante não é tarefa fácil. Na verdade, é bastante complicado. Mesmo quando economistas da Escola Austríaca de Economia tentam explicar de que maneira, exatamente, esse sistema é insustentável, o resultado nem sempre é um quadro preciso, e os leitores permanecem coçando a cabeça em meio a dúvidas.

Por exemplo, os proponentes do ouro fazem uma série de críticas graves contra o atual sistema monetário baseado no dólar americano. Eles dizem coisas como: “Apenas o ouro é dinheiro. O dólar é uma moeda fiduciária – um título de dívida embelezado!”

E  acrescentam: “Apenas dinheiro de verdade pode extinguir uma dívida. O dólar não é dinheiro de verdade. Assim, portanto, nenhuma dívida jamais é extinta no atual sistema; ele precisa se manter acumulando e acumulando ad infinitum”.

É por essas razões que os proponentes do ouro triunfantemente concluem: “O sistema monetário baseado no dólar é basicamente um esquema de pirâmide gigante que colapsará em algum momento”.

Continuar lendo